Projeto que transforma lixo em energia é apresentado em Limoeiro, Zona da Mata de Pernambuco

Segundo estudo realizado em 2019 pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), o Brasil é o quarto país no mundo que mais produz lixo. Ao todo são 11.355.220 toneladas e, desse montante, apenas 1,28% é reciclado. Só os aterros sanitários espalhados pelo País recebem aproximadamente 7,7 milhões de toneladas de lixo segundo dados do Banco Mundial.
.
Pensando nessa problemática e como contribuir com a preservação da nossa natureza, a R2MD Consultoria Empresarial participou, na manhã desta terça-feira (9), no município de Limoeiro, Zona da Mata de Pernambuco, de reunião com o secretário de Infraestrutura do município, Elias Vieira, onde apresentou projeto para implantação de uma usina de lixo com eficiência energética na região. A proposta visa transformar os descartes em biometano, manta asfáltica, adubo e energia a custo zero para o município.
       Fotos: Henrique Lima/Assessoria de Imprensa
Da esquerda para a direita: Elias Vieira (secretário de Infraestrutura de Limoeiro), Célio Muniz (consultor ambiental) e Rafael Martins (sócio-diretor da R2MD Consultoria Empresarial)
.
Na ocasião, Rafael Martins, sócio-diretor da R2MD e Célio Muniz, consultor ambiental, também apresentaram propostas eficientes para o saneamento básico e auditoria dos hidrantes do município, que visa reduzir os desperdícios na aferição da passagem de água.
.
Rafael Martins (sócio-diretor da R2MD Consultoria Empresarial)
.
“Em países da Europa aproveitar o lixo para gerar energia já é uma realidade. Já aqui no Brasil essa tendência vem ganhando espaço nos últimos anos graças aos seus resultados na redução do impacto ambiental. Nossa ideia é de transformar toneladas de lixo que hoje são destinadas para aterros sanitários em energia limpa, e o melhor, a custo zero para o município, graças a investimentos internacionais”, ressaltou Martins.
.
Da esquerda para a direita: Rafael Martins (sócio-diretor da R2MD Consultoria Empresarial), Zé de Nena (vice-prefeito de Limoeiro) e Célio Muniz (consultor ambiental)